fbpx
93 60 56 795

geral@semente-cdp.pt

Os 5 Obstáculos ao Desenvolvimento Pessoal

seMente  >  Sementinhas   >  Os 5 Obstáculos ao Desenvolvimento Pessoal

Os 5 Obstáculos ao Desenvolvimento Pessoal

Há momentos na nossa vida em que percebemos e reconhecemos a necessidade e o desejo de desenvolvimento pessoal. Sentimos que algo não está bem e começamos a procurar essa mudança na nossa vida, e nesta altura muitas vezes surgem obstáculos.

Tomarmos consciência destes obstáculos é fundamental para conseguirmos trabalhá-los e ultrapassá-los.

Partilho aqui contigo alguns desses obstáculos para que possas estar atent@ quando iniciares este caminho de mudança:

 

Nota: estes são só alguns dos obstáculos que podem surgir, mas se escrevo um texto muito longo, tu não vais ler.

Nota 2: são as minhas dicas, que coloco em prática. Podem não funcionar para ti. Partilha comigo por favor o que costumas fazer nestas situações. Estarás a ajudar-me e a todas as pessoas que trabalham comigo 🙏

 

#1 Tempo: “Não tenho tempo para mim”.

Ninguém consegue controlar o tempo, mas conseguimos gerir-nos a nós próprios e a forma como investimos ou gastamos o nosso tempo. E todos nós deveríamos investir tempo no nosso desenvolvimento pessoal, mas provavelmente nem sempre o temos como prioritário… afinal de contas temos tanta coisa para fazer, tantas pessoas para cuidar na nossa vida, o trabalho, as redes sociais, etc. E uma vida ocupada é considerada por muitos uma vida bem-sucedida. Mas onde fica o absolutamente necessário tempo para o auto-cuidado?

Dica: quando estiveres a estabelecer as tuas prioridades, lembra-te de encaixares tempo para ti. E caso ainda não as tenhas estabelecido, investe tempo nisso para não desperdiçares tempo em coisas que afinal não são assim tão importantes. Quem não tem tempo para si, está a precisar MESMO de o arranjar. Há quem acorde às 5 da manhã, há quem se deite mais tarde, há quem coloque lembretes para se lembrar de parar e cuidar de si, há quem divida o dia por blocos, há quem se desconecte das redes e convívios sociais. O que tu escolheres está bem. Não tens de fazer como os outros. O que resulta com eles pode não resultar contigo.

 

#2 Dinheiro: “Não tenho dinheiro para investir em mim.”

É das frases que mais ouço 😉 Inevitavelmente falamos de prioridades novamente. Quase sempre é possível poupar e gastar menos do que se ganha, se houver um bom planeamento das despesas fixas.  Já ouviste certamente falar em minimalismo. Eu não pratico minimalismo a 100%, mas uso algumas das suas ferramentas para lidar com o consumismo desenfreado, para lidar melhor com o dinheiro e para escolher o que compro e onde gasto o dinheiro.

Resignares-te à falta de dinheiro, não fará com que tenhas mais. A maior parte de nós anda a contar tostões, mas depois gasta em telemóveis, roupa, calçado, refeições fora de casa, e não sobra para viagens, cursos, livros, terapias.

Dica: Repensa o teu estilo de vida e percebe que gastos podes cortar no teu dia-a-dia – às vezes é necessário fazer algum esforço, ter disciplina, abrir mão de algumas coisas por um bem maior. Descobre se de facto gastas dinheiro em coisas que são realmente importantes para ti: são coisas que te trazem felicidade ou apenas te distraem da insatisfação que sentes com a tua vida atual?Como poderias ganhar algum dinheiro extra? Reflete acerca disso ou procura alguém que te possa ajudar nesse processo.

 

#3 Indefinição: “Não sei o que quero.”

Estabelecer objetivos e metas é fundamental para o desenvolvimento pessoal, mas muitos de nós não têm uma visão clara do que queremos na vida. Existem vários fatores inconscientes (não vou explorá-los aqui) que impedem a maioria das pessoas de definir o que querem e de traçarem objetivos claros.

Só que sem esta clareza, esta intencionalidade, sem esta visão do caminho que queremos percorrer, tudo pode acontecer. Incluindo resultados muito diferentes daqueles que queremos ter na nossa vida. Quando temos esta clareza percebemos aquilo que temos de fazer para alcançarmos os resultados que desejamos.

Dica: Cria uma visão do que queres fazer na tua vida, de como gostarias que fosse e, a partir dela, faz alguma coisa todos os dias para chegar lá. Exercícios de visualização são ótimos para isso.

 

#4 Medo: “E se…?”

Este é um obstáculo muito comum e pode assumir várias formas:  medo do fracasso, medo do sucesso, medo do desconhecido, medo da rejeição, entre outros.

Mas coisas fantásticas acontecem quando aceitamos que o medo é algo de natural e básico, e nos permitimos senti-lo e experienciá-lo. Para mim, o medo indica-me que algo de importante vai acontecer, que estou no caminho da mudança. Se vai sempre correr bem? Não. Mas se não batermos nas portas erradas antes, podemos não reconhecer a porta certa e nem perceber que está aberta.

Todas as escolhas envolvem algum tipo de risco, mas quando temos um maior autoconhecimento,  sabemos calculá-los melhor e agir de acordo com isso.

Dica: Às vezes o melhor é ir com medo mesmo, correr o risco! Esta coragem é libertadora!

Já reparaste que o medo desvanece quando não temos outra alternativa?

 

 #5 Procrastinação: “Eu quero fazer, mas…”

Este obstáculo está muito relacionado com o anterior. O medo do fracasso, de errar, faz com que muitos de nós adiem decisões, e isto causa mal-estar, culpabilização, ansiedade, frustração, sensação de fracasso, pois mesmo sabendo que teremos de arcar com as consequências do adiamento, continuamos a fazê-lo.

Procrastinação não é o mesmo que preguiça. Quem procrastina não deixa de fazer coisas, quem procrastina está com dificuldade em lidar com certas emoções e, por isso, evita fazer a tarefa que pode causar ansiedade, insegurança, medo de rejeição, de fracasso e de sucesso. E isto traz-me a outro prisma da procrastinação: o perfeccionismo. Quem nunca adiou uma decisão, escolha, entrega de um relatório, inscrição num curso, porque não é o timing perfeito, não temos o material perfeito, não temos a vista perfeita…? E a perfeição vai chegar alguma vez? NUNCA! Palavra de procrastinadora.

Dica: Decide. Agora! Compromete-te. Quando nos comprometemos publicamente, ou com alguém, as chances de cumprirmos sobem substancialmente.

Cria deadlines – Este para mim é imprescindível. Como boa procrastinadora, mesmo deixando às vezes as coisas para o fim, e não ficando perfeitinhas como queria, cumpro o deadline. “Feito é melhor que perfeito”, já ouviste certamente. Às vezes para mim funciona como mantra!  Pelo caminho, vou aperfeiçoando.

 

 “Conhecimento sem aplicação é informação estéril” (li isto algures, não me recordo onde…). Para mim faz todo o sentido. Se não aplicas o conhecimento que tens não produzes, não crias, não evoluis. Interessares-te em desenvolvimento pessoal e autoconhecimento é muito importante, mas nenhum livro, blog ou curso transformará a tua vida se não entrares em ação.

A pergunta que te deixo é: Quando vais apostar no teu desenvolvimento pessoal? 😀

Nenhum Comentário Adicionado

Deixe a sua opinião