fbpx
93 60 56 795

geral@semente-cdp.pt

seMente  >  Sementinhas

Os 5 Obstáculos ao Desenvolvimento Pessoal

Há momentos na nossa vida em que percebemos e reconhecemos a necessidade e o desejo de desenvolvimento pessoal. Sentimos que algo não está bem e começamos a procurar essa mudança na nossa vida, e nesta altura muitas vezes surgem obstáculos. Tomarmos consciência destes obstáculos é fundamental para conseguirmos trabalhá-los e ultrapassá-los. Partilho aqui contigo alguns desses obstáculos para que possas estar atent@ quando iniciares este caminho de mudança:   Nota: estes são só alguns...

Parentalidade na Quarentena

Parentalidade na Quarentena Se forem como eu nestes dias de quarentena e confinamento têm tido alguns desafios em gerir o teletrabalho, as crianças, as lides da casa, a vida em família e a relação conjugal. Em simultâneo. E sim, normalmente já é uma gestão que temos de fazer, mas não em simultâneo e debaixo do mesmo teto 24h. Quase todas as pessoas com quem tenho falado: amigos, conhecidos, clientes que acompanho...

Isolamento sob Controlo

O que controlo e o que não controlo Todos nós estamos a adaptar-nos a esta nova situação. Alguns mais rapidamente e com maior satisfação interna ou facilidade que outros. Todos nós experienciamos em algum momento da nossa vida falta de segurança, que compensamos com necessidade de controlarmos tudo à nossa volta: o nosso comportamento, o comportamento dos outros, o contexto onde estamos...

Tic tac vida

A nossa vida é uma combinação entre tempo e energia. A energia conseguimos gerir e controlar, o tempo não. O tempo continua a passar. O tic tac do relógio não pára. Não importa se estás acordado, a dormir, se estás bem ou mal, se estás feliz ou triste, se cumpriste aquele objectivo ou não, se tens um relacionamento ou não, se tens ou não filhos. O tempo continua a passar. Enquanto...

Ansiedade para que te quero!

Todos nós já nos sentimos desconfortáveis em alguma situação ou contexto da nossa vida, e provavelmente todos nós em algumas áreas da nossa vida experimentámos esta sensação - o coração começa a disparar, as palmas das mãos começam a suar, os pensamentos a inundá-lo de dúvidas e incertezas “serei capaz?” “Não consigo”, etc… - a ansiedade. E normalmente o que fazemos quando nos sentimos ansiosos? Possivelmente uma destas 3 possibilidades:...

A relevância da opinião dos outros

Vivemos numa sociedade que e alimenta de comparações e de opiniões (muitas vezes não fundamentadas e não solicitadas). “Toda a gente” opina sobre tudo: o vestido que “aquela” tem; a maneira como a “outra” fala com o filho; como “aqueloutro” se relaciona com a esposa…E “toda a gente” expõe a sua opinião nas redes sociais, muitas vezes até desrespeitando que os outros têm opiniões diferentes das suas. O mundo e os...

Domínio das emoções

Muitas vezes nem nos apercebemos da chegada de uma emoção. Ela simplesmente chega e arrebata-nos. Isto pode ser muito útil numa situação de emergência, e pode não ser tão útil e/ou ajustado noutras situações em que por vezes perdemos o controlo, ou não reagimos como queremos.   A grande maioria das vezes estamos em sintonia com as nossas emoções, outras vezes não: a intensidade pode não ser a adequada – quando nos...

Iceberg das necessidades

O iceberg é uma imagem que desde sempre se associa às camadas da mente. Sendo o consciente a parte visível do mesmo e o pré-consciente ou subconsciente e o inconsciente as partes submersas (e bastante maiores que a visível).  É uma analogia ou metáfora visual que é muito útil e eficaz, pois é de fácil compreensão. E o melhor de tudo é que dá para aplicar e adaptar a imensas...

Acreditas em Magia?

Esta é daquelas perguntas que só fazemos aos adultos. As crianças, no alto da sua sapiência, acreditam. Elas sabem que ela existe. Elas sabem que tudo é possível. Que se quisermos muito uma coisa, e fizermos o que está ao nosso alcance para obtê-la, a magia acontece :) No fundo no fundo elas sabem que tod@s somos mágic@s :D O que é mais ou menos consensual entre miúdos e graúdos é o...

Aprender com o passado ou viver no passado?

Quem de nós nunca sofreu com um acontecimento, um comportamento, uma atitude (ou falta deles) no passado? Quantos de nós ficam a remoer e a “ruminar” (isto é, pensar vezes sem conta e “re-ver”, “re-sentir”, “re-ouvir” o que se passou) nesse acontecimento, comportamento ou atitude de nossa iniciativa ou de iniciativa de outros, mas com grande impacto em nós? Quantas vezes fazemos isto? Bastantes não é? E quantos de nós fazem isto...